Não é mimimi. Não é só parar (de escoriar a pele). Pessoas não sabem como ajudar e skin pickers não sabem como pedir ajuda. Papo reto, bora lá?

VOCÊ QUE QUER AJUDAR:
Entenda que skin picking é uma doença. Some sensação de dependência (como por drogas e álcool) com pensamentos excessivos (obsessões) que levam a comportamentos repetitivos (compulsões). O resultado são culpa, sofrimento e as feridas que você vê. Não é frescura.
Não chame a atenção do skin picker como quem fala com um cachorro que fez xixi no tapete. Você provavelmente só produzirá raiva e vai acabar fazendo com que o ato de escoriação se repita.
Se você se importa com a pessoa que sofre com skin picking, tente ser mais empático e colocar AMOR nas palavras, nos atos, nos conselhos. Também não é passar a mão na cabeça, basta não julgar e não dizer coisas rudes. Lei da ação e reação: “Para toda ação, uma reação de mesmo valor e direção, com sentido oposto”. Seja firme, mas com gentileza. Sua ajuda será bem recebida.

VOCÊ, SKIN PICKER:
Entenda que você precisa de ajuda e que para ser ajudado você precisa pedir (e aceitar) ajuda. Não espere que passem a mão na sua cabeça. Peça ajuda e não desperdice a ajuda recebida. Faça valer o tempo que alguém dedicou a você. Você é a única pessoa que pode fazer a mudança acontecer. Alguém pode sugerir um caminho, mas quem tem que dar o passo é você.
Não aceite NADA diferente de palavras gentis, você não tem que aceitar humilhação. Saiba se impor, mas com carinho. Repita (1000 vezes, se preciso) o quanto se sente magoado com certas palavras e será escutado. Lei da ação e reação. Para os dois lados.

Parecendo terapia de casal isso aqui! Uns querendo ajudar e não sabem como, outros precisando de ajuda e birrentos porque não é como gostariam.

Pois bem! No meu caso, demorei pra aprender, mas escolhi a maneira como as pessoas poderiam me ajudar. Aprendi a falar com amor. Aprendi a aceitar. Crie a sua receita!
E se você está do outro lado, pratique falar e escutar com amor!

Sem raiva, sem mimimi, para os dois lados. Ação e reação: vai amor, volta amor!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *