Este post fala de cicatrizes. Físicas e emocionais.

É muito tênue a linha entre causarmos algo bom ou ruim a alguém.

Intenções só deixarão de ser aleatórias quando [o bem] vier à frente delas, nos sentimentos que as motivam, na fala adotada, no tom de voz aplicado, na ação realizada.

Uma palavra mal escolhida por alguém pode ferir você. Uma palavra mal escolhida por você pode ferir alguém. No caso de quem sofre com o skin picking, ainda pode resultar em duas feridas: uma emocional e outra física, engatilhada pela emocional.

A gente provavelmente não vai acertar sempre, mas se tentarmos priorizar [o bem] antes de colocar em prática qualquer intenção, dificilmente produziremos dor.

Se alguém fala com a gente ou se nós falamos com alguém sobre o picking (ou qualquer outro assunto) com a intenção de [fazer o bem], com [amor] na fala e nas intenções, dificilmente alguém vai se machucar.

Não é difícil pelo menos tentar. E se pensarmos que é somente escolhendo [o bem] que vamos produzir marcas positivas, reflexões, aprendizados? Não se torna uma escolha obrigatória de quem se considera uma pessoa [do bem]?

Você pode [escolher] deixar boas marcas. Em você e nas outras pessoas. Até mesmo quando você resolver criar coragem para pedir que os outros tratem você com respeito e compreensão pelo picking, transforme suas intenções. Coloque [o bem] e o [falar com amor] como prioridade. Aposto que a chance de errar será sempre muito pequena.

Escolher [o bem] deixa a sua marca na vida de alguém.
Falar e agir sem se importar em ferir pode deixar cicatrizes feias em alguém.
Por qual desses resultados você prefere ser responsável?

Julgue menos. Aja com mais [amor]. Seja mais [do bem].

#skinpicking #escoriaçao #ansiedade #dermatilomania #dermatotilexomania #transtornodeescoriacao #pele #compulsao

Categorias: Para refletir

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *