Quem é você quando ninguém está olhando?

Essa imagem me fez pensar em como nos transformamos em seres que não gostamos quando estamos cutucando a nossa pele. Meu outro eu era um ser muito feio, e masoquista até. Imagino que o que eu e você sentimos seja o mesmo: impulso, prazer (por ceder ao impulso), impotência (por ter cedido ao impulso), vergonha, raiva. E aí começa tudo de novo.
Eu não me reconhecia neste ciclo, parecia que não era eu. Meu corpo não obedecia meu cérebro. Não sem dor, consegui despejar este eu que vivia em mim e que não era eu. Com disciplina e ajuda, mas muita ajuda mesmo, de quem eu tinha perto. Qualquer um, vergonha zero.

E você? Também parece que tem um outro eu te dominando? Se quiser conversar é só chamar. Pode ser que algum dos caminhos que peguei sirva pra ajudar você. ✌️


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *